sexta-feira, setembro 03, 2004



Renovação. Nada se cria. Tudo se recria


Gostava de saber ver para lá das imagens que os meus olhos vêem
Gostava de sentir a cor e a forma que as almas têm...

Gostava de ter uma janela com vista para dentro, a preto e branco com um espaço (in)finito para colorir e uma caixa de lápis Giotto novinhos em folha.

Gostava de ser leve

como sempre que o amor é feito de ilhas que se tocam indelevelmente.


texto editado em mulheres em chamas. Nada se cria. Tudo se recria. Reinventei o texto depois de ver o filme 21 Grams


Fotografia de Alberto Monteiro